Alimento Saudável no Mercado A importância dos produtos saudáveis para satisfazer o consumidor - Alimento Saudável no Mercado

A importância dos produtos saudáveis para satisfazer o consumidor

O consumo de produtos saudáveis está injetando boas doses de otimismo na indústria e no varejo.

Nos últimos cinco anos, o crescimento do setor no Brasil chegou a 98%, movimentando US$ 35 bilhões ao ano. Por sua vez, no mesmo período, as linhas dos chamados produtos tradicionais cresceram menos, 67%.

consumidor alimentos saudáveisEstes números levantados pela Nielsen reforçam os resultados de uma pesquisa encomendada pela APAS (Associação Paulista de Supermercados): 49% dos consumidores se preocupam em ter uma alimentação saudável. Este índice não é fruto de uma moda passageira, mas sim de uma mudança de hábitos. Saúde, bem-estar e qualidade de vida se tornaram prioridades entre os brasileiros com o consumo de alimentos saudáveis, mas também com mais tempo dedicado a atividades físicas em academias e ao ar livre.

É para este público que a oferta de alimentos saudáveis tem sido cada vez maior e variada. São produtos mais nutritivos, naturais, integrais, orgânicos, sem glúten, sem lactose, com menos sódio, com menos gordura, com baixo teor de açucares, de qualidade e saborosos. Ou seja, são produtos que agregam benefícios importantes como é caso do açaí, alimento que ajuda a prevenir doenças como câncer, diabetes e anemia e serve como repositor de energia para praticantes de esportes e atividades físicas.

açai alimento saudavel para atletasTem sido esta a aposta de muitos empreendedores do varejo para enfrentar um cenário econômico de crise e incertezas. E pelos números destacados nos levantamentos da Nielsen e da APAS, quem está apostando, está ganhando. Há casos de estabelecimentos que, de olho na oportunidade de aumentar as vendas, ampliaram em 30% o mix de produtos saudáveis na loja, com resultado imediato após a mudança.

Mas, prepare-se: para fazer os alimentos saudáveis alavancarem as vendas é preciso mais do que uma prateleira e um freezer lotados de produtos. Será necessário aprender mais sobre os consumidores e de que forma seus hábitos saudáveis têm influenciado diretamente o comportamento deles na hora da compra. Pesquise, pergunte.

Um ponto importante para ser observado é que por causa desta postura mais preocupada com a saúde, os consumidores estão mais bem informados. Leem muito a respeito, buscam acompanhamento profissional de médicos, nutricionistas e personal trainers e seguem à risca as orientações que recebem. E usam isso para escolher o que desejam consumir. Não compram qualquer produto e costumam observar os rótulos com mais atenção para conferir as informações nutricionais. A boa notícia é que estão dispostos a pagar mais pelos produtos que tenham relação com alimentação saudável.

Saúde, bem-estar e qualidade de vida

consumidor-produtos-saudaveis

Para os varejistas que ainda dedicam um espaço reduzido para os produtos saudáveis em seus estabelecimentos, a hora de mudar este cenário é agora. Aproveite que o hábito de refeições fora de casa está diminuindo, de acordo com a pesquisa da APAS, e una o útil ao agradável: aumente a oferta de produtos saudáveis que sejam de fácil preparo ou prontos para o consumo e que possam ser uma ótima opção para o consumidor tanto no almoço quanto no jantar.

E para os empreendedores de pequeno e médio porte que atuam em áreas geográficas menores, outro dado da pesquisa da APAS pode servir de inspiração para uma boa estratégia de relacionamento com o público. O chamado mercado de vizinhança ou de bairro cresceu 48% em 2015 e possui uma maior concentração de compras de reposição (67%).

Tendo saúde, bem-estar e qualidade de vida como motes, o estabelecimento pode verificar os hábitos dos vizinhos (se praticam caminhadas pelas ruas do bairro, se fazem exercício nas pracinhas...) e até firmar parcerias com as academias do bairro. E a partir daí, promover ações especiais como degustação e promoções – o que também fará muito bem para a “saúde” do negócio.

Deixe seu comentário